O problema da locomoção das almas no Além - Corolarium Cap. LVII

PDF por Nova Ordem de Jesus. 06/05/2016 - 17 min leitura
#corolarium #novaordemdejesus #mensagens #mãemaria #nossasenhora

O problema da locomoção das almas no Além. —  Necessidade de utilizarem as almas o seu poder de volição. — Um exercício semelhante ao das crianças na Terra. — Nossos veículos de transporte coletivo. — Valor da psicografia.

Trago-vos no capítulo de hoje um assunto do qual todos ireis gostar muito, por se tratar de um verdadeiro desenvolvimento espiritual para as vossas almas. Versa o assunto de hoje um importante detalhe da vida espiritual que todas as almas vivem após deixarem na Terra o corpo que lhes serviu de veículo durante a sua encarnação. Chegando de regresso ao mundo espiritual, as almas se defrontam com alguns pequenos problemas, um dos quais eu referi nas páginas anteriores, que é o da sua maneira de comunicação com as outras almas, necessitando para isso de usar o pensamento. Tratarei agora de outro importante detalhe da vida no Além, qual seja o que diz respeito à locomoção das almas, seja no seu deslocamento a certas distâncias, seja para se locomoverem no próprio local em que se encontrem. E sabendo-se que o corpo espiritual das almas desencarnadas não possui os membros locomotores do corpo físico, surge então o problema do deslocamento no Além. Este problema, da maior importância, como é bem de ver, diz respeito ao desenvolvimento do poder de volição das almas, ou seja, a educação da própria vontade. A base principal do desenvolvimento do poder de volição das almas está firmada em dois pontos essenciais, que são o pensamento e o desejo. O ato de deslocamento da alma obedece em princípio ao desejo de se dirigir a alguma parte, muito semelhantemente ao que ocorre na Terra aos seres humanos. Agem nesse ato o pensamento e o desejo. A criatura pensa inicialmente num determinado local e se o desejo se manifesta nesse sentido, a criatura instintivamente se desloca na direção do local desejado. O comando central dos movimentos humanos, exercido pela alma encarnada, aprende-se desde os primeiros passos dados pela criança, e a criatura executa a faculdade de locomoção durante toda a vida com a facilidade que todos experimentais.

A locomoção das almas no Além, entretanto, é feita de maneira diferente. Não existindo as pernas tais como as que ficaram no corpo, há necessidade das almas aprenderem a utilizar o seu poder de volição para se locomoverem. Este poder de volição tem então de ser desenvolvido pelas almas apenas chegadas da Terra, o que todas fazem instintivamente, da mesma maneira que o recém-nascido começa a praticar a sucção apenas posto em contato com o seio materno. Em relação às almas no Além, contudo, para que possam alcançar mais rapidamente o seu poder de volição, elas necessitam de exercitar o pensamento, o raciocínio e o desejo. O pensamento as colocará mentalmente em contato com um determinado local, bem próximo inicialmente, e depois a maior distância. Firmado, então, o pensamento no local escolhido, entra em ação o raciocínio para estabelecer na mente da alma o processo a seguir para alcançar o local escolhido, quando então a alma procura empregar o potencial do seu desejo de se locomover até lá. Esta operação apreciada pelas almas já perfeitamente desenvolvidas, tem muito de semelhante à observação que vós próprias fazeis ao contemplar a criança que inicia os primeiros passos. O que então parece difícil à criança, levando-a não raro ao chão, torna-se em breve tão fácil, permitindo-lhe correr e saltar com absoluta segurança. Isto resulta do fato de que o comando certo de todos os movimentos exercido pela alma já se tornou instintivo ao organismo, movimentando-se cada membro independentemente do outro na realização dos seus movimentos.

No caso das almas no Além, há necessidade de se exercitarem, também, muito semelhantemente às crianças da Terra, para poderem adquirir e usar o seu poder de volição, indispensável à locomoção de todas no Além. Desenvolvido este poder, bastará a uma alma firmar o pensamento em determinado local e acionar o seu poder de volição, ou seja, a força de sua vontade posta em ação, e instantaneamente a alma se encontrará no local desejado. Isto não quer dizer, porém, que não usemos também veículos no mundo espiritual, pois que lá existem para uso individual ou coletivo, portanto, de várias dimensões. Ao recebermos visitas de almas viventes em planos menos evoluídos, nós as conduzimos em veículos de transporte coletivo aos lugares que desejamos mostra-lhes, dado que as mesmas não possuam ainda bem desenvolvido o seu poder de volição. Nesta minha vinda à Terra, por exemplo, onde estou vindo todos os fins de semana desde o mês de maio — 1967 — eu venho acompanhada de uma comitiva de cinco almas no mínimo, fazendo-nos transportar num veículo que eu denominarei aqui aerobus para vossa melhor compreensão. As seis Entidades poderiam vir perfeitamente utilizando o nosso poder volitivo já bem desenvolvido por todas nós; contudo, servimo-nos do veículo coletivo pela comodidade de nos acomodarmos juntas e assim nos deslocarmos na vinda e regresso ao nosso plano no Além. Sobre as características deste veículo eu espero falar detalhadamente em outro capítulo, para satisfazer a vossa natural curiosidade.

Volto então ao início deste capítulo para oferecer-vos os meios pelos quais haveis de adquirir mais tarde no Além o poder de locomoção de que haveis de necessitar. Primeiramente terá a alma de concentrar o seu pensamento no desejo de adquirir e usar o seu poder de volição. Com o pensamento assim concentrado, alimentado pelo desejo ardente de se locomover, inicia-se na alma uma espécie de ajustamento de dificuldades visando exclusivamente ao objetivo locomoção. Como parte do exercício, a alma firma o pensamento num determinado ponto ou local à sua escolha, e, como se desse um primeiro passo na Terra, impulsiona-se mentalmente, na direção do local objetivado. A continuação deste exercício, três, quatro, cinco ou mais vezes ao dia, segundo as disposições da alma, levá-la-à a sentir-se deslocar donde está e caminhar na direção escolhida. O exercício é que faz a função, dizeis vós na Terra com muito acerto. No Alto o mesmo fenômeno se verifica também. As almas que se entregam decididamente à aquisição do poder volitivo, ou de locomoção, em breve o conseguem para sua grande alegria. Este poder passa então a funcionar tão perfeita e facilmente, que leva as almas a se deslocarem instintivamente até aos lugares donde lhes chegue um simples pensamento. É pois um exercício que todas vós haveis de praticar, almas queridas, na vossa chegada de regresso ao mundo espiritual, como igualmente o fizeram as que nele vivem. E começando a preocupar-se desde agora com mais este detalhe da vida espiritual, já vos estareis preparando desde a Terra, o que será então de grande vantagem e comodidade para vós. Começai por concentrar o vosso pensamento numa localidade próxima ou distante, imaginando que vos estais locomovendo mentalmente para lá, e esforçai-vos por enxergar detalhes dessa localidade, como se nela vos encontrásseis. Este exercício tornar-se-á tão eficiente para a vossa locomoção espiritual, que haveis de surpreender-vos se algum dia visitardes a localidade escolhida, e lá reconhecerdes detalhes já vossos conhecidos. Além de particularmente agradável este exercício, ele ser-vos-á grandemente útil ao regressardes ao mundo espiritual, pela facilidade que encontrareis em vos locomover pelo poder volitivo assim desenvolvido.

Tratarei a seguir de um assunto que eu considero igualmente útil ao conhecimento de todas as minhas filhas e filhos encarnados. Trata-se da maneira pela qual uma alma encarnada pode comunicar-se com a de um parente desencarnado, e com ela estabelecer o diálogo sempre que o desejar. Vários processos existem para isso, ensinados e desenvolvidos à luz da ciência espírita, como sabeis. Um dos mais eficientes, contudo, pelo fato de ficarem as palavras grafadas no papel, é sem dúvida a psicografia, o processo pelo qual estou ditando este livro. A psicografia consiste no desenvolvimento da escrita mediúnica, por meio da qual o instrumento mediúnico do intermediário vai grafando a lápis no papel as palavras ditadas à sua mente telepática pela Entidade desencarnada. É um processo dos melhores que se conhecem, não apenas para uma alma encarnada se comunicar — dialogar também — com outra desencarnada, o que proporcionará a esta última uma grande alegria. Dizendo-vos que um dos grandes anseios das almas desencarnadas é entrar em contato com as que deixaram na Terra, estarei dizendo-vos uma grande verdade. Queixam-se frequentemente muitas das almas que vivem no Além, do esquecimento em que ficaram por parte daqueles que deixaram na Terra, cujo tempo é pouco, quase sempre, para cuidarem apenas dos seus interesses terrenos. As desencarnadas, ao contrário, preocupam-se grandemente com os entes que ficaram nos lares terrenos, e oram fervorosamente por eles ao Senhor Jesus e também a mim, rogando ajuda, proteção e felicidade para eles. Quanto apreciariam então as almas desencarnadas alguns minutos de contato semanal, por exemplo, com os seus entes queridos do plano terreno, e mais ainda se pudessem grafar algumas linhas por meio deste belo processo da psicografia. A propósito, eu vos contarei uma pequena história, que é a seguinte:

Este meu excelente intermediário conheceu na Terra há mais de meio século, numa pequena cidade interiorana onde residiu uns dois anos, uma alma de quase criança que apenas o cumprimentava à passagem para a escola. A única recordação que este instrumento guardou de memória, passados quase sessenta anos, foi o quadro daquela passagem e do cumprimento que então recebia. O meu intermediário retornou à cidade, continuou a sua vida, constituiu família, criou-a, educou-a, e instalou-se finalmente nesta grande e bela cidade do Rio de Janeiro, onde estou ditando o presente volume. A alma em referência, que permaneceu na sua pequena cidade, cumpriu por sua vez a sua tarefa na vida: constituiu um lar modelar onde cumpriu os seus deveres de alma encarnada. Ultimamente desencarnaram ela e o marido, regressando ao seu plano no Além, um plano se bem que bastante evoluído, distante ainda se encontra daquele em que vivem as almas redimidas, isto é, aquelas que atingiram o mais elevado grau evolutivo a ser alcançado na Terra. Reparai que esta pequena história vem a propósito da faculdade psicográfica desenvolvida.

Muito bem. Há poucos meses, porque desencarnada recentemente, chegou no Além uma alma da grande amizade deste meu belo instrumento, conduzida pelo nosso querido Irmão Thomé, a pedido do instrumento, desejoso de ampliar o grau de sua amizade além da morte do seu amigo terreno. O Irmão Thomé, bondosamente, conduziu o amigo do instrumento ao plano em que eu vivo, recebendo-o eu com alegria no meu Círculo Espiritual, onde a referida alma passou a viver uma vida de felicidade que inteiramente desconhecia.

Sucede que esta alma havia vivido também na pequena cidade interiorana à época em que este instrumento lá esteve, onde resultou uma amizade para além da morte. Volto aqui a pedir vossa atenção para a psicografia, que é o motivo desta história. Aquela alma amiga do instrumento, encontrando numa de suas andanças no Além, as almas também suas conhecidas e amigas, vividas e já desencarnadas na pequena cidade do interior, surpreendeu-as ao lhes dizer que fora este intermediário quem pedira ao Irmão Thomé — o Apóstolo do Senhor — para conduzi-la àquele plano de luz e felicidade onde estava vivendo, fato que deixou as duas almas — marido e mulher — verdadeiramente desejosas de se comunicarem com este instrumento para rogarem sua interferência e proteção para melhorar sua vivência no Além.

Passaremos agora à segunda parte da história, a parte que servirá para evidenciar perante todas vós o valor e utilidade do desenvolvimento desta bela faculdade psicográfica. O bondoso Irmão Thomé, solicitado, concordou em conduzir à residência deste instrumento aquela boa alma que ele via passar para a escola quase criança, e esta se empenhou em projetar na sua memória, durante um dia inteiro, aquele preciso momento em que o cumprimentava há mais de meio século. O instrumento recebeu claramente a imagem assim projetada, recordou perfeitamente aqueles momentos já tão distantes, e tão claros e insistentes eles foram, que à noite, no diálogo que mantém com o Irmão Thomé há mais de cinco anos, pediu-lhe um esclarecimento a respeito. O bondoso Thomé explicou então, por meio da psicografia, que aquela boa alma desejara procurar o instrumento para pedir a sua ajuda e proteção para ela e o marido, cuja situação no Além não era das melhores. E como haviam sido informados pela alma amiga comum, da situação espiritual deste instrumento, vinha pedir-lhe também a sua proteção, invocando aquele rápido conhecimento do passado. Numa segunda visita alguns dias após a boa alma vinha agradecer a luz que ela e o marido já estavam recebendo no seu plano, luz resultante das preces que daqui passaram a receber. A boa alma utilizou-se então da psicografia, ditando palavras de profundo agradecimento pelas preces que estavam recebendo, manifestando ao mesmo tempo a sua grande aspiração de se transferirem também, se possível, para o meu Círculo Espiritual. Num dos fins de semana em que eu redigia no lar deste belo instrumento mais dois capítulos deste livro, aqui encontrei aquela boa alma, trazida uma vez mais a seu pedido, pelo nosso querido Thomé, em visita ao meu intermediário, presente em seu pensamento o grande anseio de melhorar de situação no Além. Eu compreendi imediatamente o seu anseio e apreciei a correção e pureza de sua última encarnação, e logo me dispus a admiti-la no meu Círculo Espiritual, se isto fosse da vontade do meu instrumento. Este, consultado por mim, muito me agradeceu, pedindo-me para admitir as duas almas, o casal da última encarnação, ao que eu atendi prontamente. A boa alma já regressou incluída na minha comitiva, conduzindo, em nossa passagem pelo local em que viviam, a alma do marido, que se emocionou ao receber a notícia de que iam passar ao meu serviço no Alto.

Tudo isto aconteceu, minhas almas queridas, em virtude de aquela boa alma ter podido comunicar-se claramente com este instrumento por meio da psicografia, traduzindo em vários ditados a sua situação de vida no Além, e o seu empenho em conseguirem, ela e o marido, uma situação melhor, conseguida afinal, conforme ficou dito. Seja então esta pequena história um exemplo de como podereis comunicar-vos com as almas do Além, inclusive ajudá-las quando necessitem da luz que as vossas preces podem produzir. Exercitai-vos, pois, no uso desta bela e útil faculdade ao alcance de todos, que é a psicografia.

Deixo-vos aqui a bênção que o Senhor vos envia por meu intermédio, e a minha própria que eu vos ofereço de todo o coração.

Esta mensagem é parte do livro Corolarium, da Grande Cruzada do Esclarecimento. Conheça mais sobre o livro Corolarium. Agradecemos pela leitura e ficaremos muito felizes se o seu desejo for o de compartilhar a mensagem com seus amigos e familiares.

Seja um Apóstolo do Nosso Senhor Jesus e ajude divulgar as obras da Grande Cruzada de Esclarecimento.

Mais de Corolarium - Mensagens do Livro

Brevemente na Terra alguns melhoramentos observados em Saturno - Corolarium Cap. LXXV

Brevemente na Terra alguns melhoramentos observados em Saturno. — Alfabetização como base da iluminação espiritual das criaturas. — Poucos acidentes...
Leia a Mensagem

Circunstâncias que podereis alcançar para regressar à Terra após curto repouso no Alto - Corolarium Cap. LXXIX

Circunstâncias que podereis alcançar para regressar à Terra após curto repouso no Alto. — Podereis ingressar desde agora no serviço divino. — Um...
Leia a Mensagem

Minha resolução de vir também à Terra mereceu a aprovação do Senhor - Corolarium Cap. L

Minha resolução de vir também à Terra mereceu a aprovação do Senhor. — Vossos mais úteis momentos. — O mundo invisível ou Mundo...
Leia a Mensagem

Esta mensagem é parte do livro Corolarium, da Grande Cruzada do Esclarecimento. Conheça mais sobre o livro Corolarium.

Compre Impresso
Download PDF

Seja um Apóstolo do Nosso Senhor Jesus e ajude divulgar as obras da Grande Cruzada de Esclarecimento.

Nova Ordem de Jesus

(51) 99739-9884   darcidickel@novaordemdejesus.com.br
Rua Ludwig Wagner, 84. Bairro São Paulo.
CEP 95780-000. Montenegro, RS . Brasil.

"A palavra que o Senhor Jesus está difundindo na Terra através destas mensagens, deve ser ouvida e meditada por quantos tiverem a ventura de conhecê-la em sua presente vida terrena." - Apóstolo Thomé