Almas em fim de aprendizado terreno - Corolarium Cap. XLIV

PDF por Nova Ordem de Jesus. 01/05/2016 - 15 min leitura
#corolarium #novaordemdejesus #mensagens #mãemaria #nossasenhora

Almas em fim de aprendizado terreno. — Bilhões de almas aguardam oportunidade de reencarnar há mais de um século. — O Senhor necessita de novos servidores. — A ação da Providência Divina. — Minha última partida da Terra.

 

Os acontecimentos em curso ao longo deste pequeno planeta, destinados a operar determinadas alterações na sua estrutura, deverão contribuir para elevar bastante, não só a categoria do próprio planeta, como também o nível de vida de todos os seus habitantes. As modificações programadas para este fim de século já eram esperadas há bastante tempo, alguns séculos talvez; a circunstância, entretanto, de se encontrarem vivendo a presente onda de vida alguns milhares ou milhões de almas em fim de aprendizado, fez com que as Forças Superiores adiassem por alguns séculos os acontecimentos em curso no solo terreno. Desta maneira operar-se-á uma seleção por assim dizer automática das almas que devem deixar a Terra por haverem concluído o seu curso de aprendizado terreno, seguindo integradas na sua onda de vida, em direção a planos superiores do mundo espiritual.

Certamente não deixarão a Terra apenas as almas já devidamente preparadas para isso, porque os fatos em perspectiva hão de atingir algumas ou muitas almas em fase de aprendizado; estas, porém, irão encontrar no Alto os meios de se aprimorarem espiritualmente durante a sua permanência, a fim de poderem galgar por sua vez novos degraus. Poderá suceder, contudo, que uma parte das almas que desencarnarem neste fim de século encontrem oportunidade de voltar à Terra lá pelos fins do século próximo, se as suas condições forem julgadas em harmonia vibratória com as vibrações emitidas pelas almas que vêm constituir a próxima civilização terrena.

Já me referi em capítulo anterior ao processo em andamento no Alto, para selecionar as almas que deverão reencarnar proximamente no solo terreno. E referi então que seria dada prioridade àquelas que contarem mais de um século de desencarnadas, cujo número se conta por bilhões. A segunda prioridade caberá às almas que contarem entre meio e um século, de cuja classe se retirarão as que puderem completar o número de almas que as condições do meio terreno comportarem. Fácil vos será verificar pelo que aí fica, que não será fácil às almas presentemente encarnadas, aqui voltarem muito proximamente em corpo físico, dada a sua recente desencarnação. É para este ponto, por conseguinte, que eu desejo chamar a vossa atenção, minhas almas queridas. Se na Terra vos encontrais neste momento, após haverdes aguardado no Alto anos e anos de espera pela vossa vez, tudo aconselha que trateis de aprimorar ao máximo as vossas qualidades morais, tal como no Alto prometestes ao Senhor, a fim de, no vosso próximo regresso, vos integrardes na classe daquelas que vão receber a desejada promoção a planos superiores. Numa condição, contudo, algumas das almas atualmente encarnadas aqui estarão bem proximamente na condição de Guias e Protetores de outras almas encarnadas. Isto ocorrerá àquelas que, tomando na devida consideração os conselhos mandados divulgar na Terra pelo Senhor Jesus, tomarem a decisão sincera de os pôr em prática. Na condição acima, muitas de vós, almas queridas, poderão regressar à Terra, a fim de prestarem um novo ou primeiro serviço ao Divino Mestre, que muito necessita de novos servidores. Não vos considereis porventura incapazes de desempenhar essa luminosa missão, analisando apenas os vossos conhecimentos atuais. No vosso arquivo espiritual deixado no Além, todas vós, almas queridas, possuís conhecimentos e experiências acumulados em vidas anteriores, que vos habilitam ao desempenho da elevada missão de guiar e proteger outras almas encarnadas. Eu vos convido então, com todo o amor, a que trateis de vos libertar de um certo número de práticas da vida terrena, elevando o quanto possível as vibrações do vosso coração para o Senhor Jesus, para que a Ele vos ligueis de agora em diante, proporcionando desta maneira ao Senhor a certeza de poder contar convosco desde o vosso próximo regresso ao mundo espiritual. Em seguida, vou conversar um pouco mais convosco em torno da vida que todas nós vivemos no mundo espiritual. Para principiar, eu desejo dizer-vos que não tem nenhum fundamento a triste preocupação de muitas almas em relação ao seu regresso ao mundo espiritual, no que muitas e muitas delas nem sequer desejam falar. Esta idéia de tristeza resulta do convívio amoroso com outras almas, constituindo o núcleo familiar, e a idéia de tudo deixar na Terra é que produz o sentimento de tristeza em quase todos os corações. Eu vos esclarecerei então, minhas almas queridas, que a única preocupação que devem alimentar as almas encarnadas é a de se encontrarem de consciência tranquila na hora da partida. O fato de se separarem das almas queridas que ficarem, não deve constituir tão grande preocupação, porque delas se incumbirá a Divina Providência, que foi quem as reuniu na Terra. O regresso, por conseguinte, das almas encarnadas ao Além apenas representa o cumprimento da lei mesma que as trouxe aos lares terrenos e nada mais. As almas que ficarem nos lares deixados por aquelas que foram chamadas de regresso são almas independentes no Universo, as quais continuarão a viver a vida que lhes é própria, segundo o plano de cada uma. Dirá alguém, provavelmente, que muito triste é o fato de partir da Terra um pai ou mãe deixando na orfandade aqueles seres que a Providência lhes confiara para criar e educar. Eu esclarecerei que, se tal acontecer, as almas infantis que ficarem privadas da proteção de seus progenitores já desceram à Terra com essa previsão, seguindo daí o seu verdadeiro destino. Verificada a partida de qualquer das colunas de um lar na Terra, já as Forças Superiores terão providenciado o encaminhamento das almas que aí se encontrem; e sempre no sentido do seu melhor aproveitamento. Quanto aos bens e fortuna deixados na Terra pelas almas que partem, nada perderam com isso, porquanto tratando-se de bens terrenos, só transitoriamente lhes pertenciam. Ficam esses bens e fortuna para serem usados pelas almas remanescentes, se isso lhes couber, para, a seu tempo, passarem também a outras mãos. A única fortuna, por conseguinte, que um ser humano deve esforçar-se em construir, é a fortuna espiritual, aquela que ele leva no seu coração ao regressar deste mundo físico. Uma fortuna constituída de boas obras, fundamentadas no sólido princípio do amor ao próximo, distingue no Alto a alma que regressa da Terra, pela extraordinária luminosidade que então se irradia à sua volta. A chegada ao mundo espiritual de uma alma nestas condições é sempre motivo da maior alegria para quantas a recebem, mas muito maior para o Divino Mestre, que com ela se congratula ao colocar-lhe o belo galardão a que tiver feito jus.

Eu me recordo um pouco ainda dos momentos que precederam a minha última desencarnação, numa pequena cidade da Espanha. Eu me havia dedicado à instrução das crianças que frequentavam a minha modesta escola, uma escolinha mantida pela agremiação da qual eu fazia parte. Percebendo a aproximação da minha partida, uma só preocupação eu alimentava, que era deixar uma substituta capaz de dispensar às minhas queridas crianças o mesmo amor que eu lhes dispensara durante vários anos. E roguei então à Providência Divina que me facultasse apenas o tempo necessário para que a minha partida nenhuma falta fizesse então. Essa graça foi-me concedida, e eu me dispus a regressar com o coração bastante alegre, pelo fato de poder deixar a vida da minha escolinha perfeitamente normalizada. Agora não tenho palavras para traduzir a minha alegria imensa ao me encontrar de novo no mundo espiritual, após o cumprimento da tarefa que recebi, uma dura tarefa, é verdade, mas que eu pude cumprir integralmente. Inúmeras eram nesse momento em que abri os olhos da alma, as luzes maiores e menores que me circundavam. Intuitivamente eu pude traduzi-las, como  significando as grandes e pequenas dificuldades que havia defrontado na Terra, as quais, com a minha fé e grande paciência, eu conseguira vencer. Nesses momentos históricos para todas as almas, nós bendizemos os esforços empregados com paciência e fé, no sentido de prosseguirmos em nosso caminho, o caminho que nós mesmas construímos no Além para trilhar na Terra.

Este pequeno detalhe da minha última estada na Terra, que agora ficais conhecendo, servirá para que possais compreender algumas das dificuldades com as quais por vezes vos defrontais. Se a vossa intenção é boa, sã, elevada, deveis perseverar nela, porque do Alto partirá a ajuda, o socorro necessário. Se alimentardes, então, a fé e a paciência no vosso coração, não tenhais a menor dúvida de que superareis com elas as maiores dificuldades com as quais vos defrontardes.

A circunstância de vos encontrardes vivendo a vossa existência presente num corpo de carne deve ser encarada por todos vós, minhas filhas e filhos estimados, como uma graça que vos foi concedida pelas Forças Superiores, após um longo estágio no vosso plano espiritual. Semelhante concessão foi acompanhada de determinadas condições a serem cumpridas por vós neste mundo terreno. Refiro-me, é claro, a condições de ordem moral, relacionadas com as vossas necessidades e aspirações de progresso espiritual, ou seja, de maiores luzes para o vosso Espírito. Consiste exclusivamente nisto o vosso compromisso, ao receberdes a desejada permissão para reencarnar uma vez mais neste mundo terreno. Em tudo o mais quanto entenderdes de fazer, realizar ou proceder na esfera puramente material, sois absolutamente livres de agir à vossa vontade e conveniência. Podeis ambicionar possuir fortuna, riqueza, abastança, sendo livres de consegui-la. Obrai, porém, tendo presente o progresso moral que deu motivo à vossa presente existência terrena, para que não vá o interesse pela construção de uma fortuna material prejudicar em parte ou mesmo anular, o que já conseguistes em matéria de progresso espiritual. É para todas nós motivo de grande alegria assistirmos à chegada, no Alto, de almas possuidoras de grande luminosidade adquirida recentemente na Terra, no cumprimento de quanto ambicionavam e prometeram no Alto às Forças Superiores. Examinando detalhes da vida terrena de algumas dessas almas, verificamos que apenas foram ricas de dificuldades e privações. Sua perseverança, entretanto, em prosseguir no caminho encontrado, e os apelos constantes ao Senhor em busca de apoio e ajuda, deram-lhes a força de prosseguir e vencer suas dificuldades e privações. Estas almas, agora tão lindamente iluminadas, contrastam, infelizmente, com um não pequeno número de outras cuja chegada no Alto nos inspira verdadeira compaixão. Aportam ali estas últimas, numa obscuridade e intranquilidade, que bem refletem o processo usado em sua reencarnação recém-finda, da qual se mantiveram ausentes os belos princípios da fé e do amor aos semelhantes. A nossa curiosidade nos leva instintivamente a investigar os dados relacionados com a vida destas almas, e nela vamos encontrar os motivos de sua obscuridade e intranquilidade. Encontramos em seu passado recente a prática de atos pouco recomendáveis, gestos e procedimentos contrários às normas da verdadeira moral cristã, alguns deles acusando punições sofridas pelas almas recém-chegadas. Isto é profundamente lamentável, minhas almas queridas, tendo-se em vista o empenho daquelas almas em obterem a necessária permissão para reencarnar, animadas dos mais belos propósitos. Uma vez, porém, envolvidas pela túnica de carne, e na posse do seu livre arbítrio, aquelas almas esqueceram de todo os seus bons propósitos do melhor comportamento moral, e enveredaram por caminhos tortuosos que as conduziram à situação na qual aportaram ao seu plano no mundo espiritual. Para esta classe eu não direi que a Terra acabou, porque na vida espiritual há sempre uma bela esperança para todos. Uma nova encarnação, porém, apresenta-se para elas de tal maneira difícil, que talvez decorram alguns séculos até que possam pensar numa nova vivência na Terra. Isto significa ao mesmo tempo um atraso correspondente, sucedendo em muitos casos esta classe de almas perder de vez a onda de vida da qual faziam parte. Vede pelo que aí fica a consequência a que pode conduzir uma vivência terrena descurada do verdadeiro interesse da alma, que é o engrandecimento da sua luminosidade.

Deixo-vos aqui a bênção que o Senhor vos envia por meu intermédio, e a minha própria que eu vos ofereço de todo o coração.

Esta mensagem é parte do livro Corolarium, da Grande Cruzada do Esclarecimento. Conheça mais sobre o livro Corolarium. Agradecemos pela leitura e ficaremos muito felizes se o seu desejo for o de compartilhar a mensagem com seus amigos e familiares.

Seja um Apóstolo do Nosso Senhor Jesus e ajude divulgar as obras da Grande Cruzada de Esclarecimento.

Mais de Corolarium - Mensagens do Livro

Chegada da caravana a Saturno - Corolarium Cap. LXXII

Chegada da caravana a Saturno. — Primeiras observações. — Visita a uma Universidade. — Grande atenção dos saturninos à instrução...
Leia a Mensagem

A Fonte do Supremo Bem - Corolarium Cap. XVII

A Fonte do Supremo Bem. — Necessidade do hábito da prece. — Um episódio bastante elucidativo. — Duas almas afins combinam unir-se na Terra. — Um método...
Leia a Mensagem

As almas fazem seu próprio julgamento no Alto - Corolarium Cap. XLVI

As almas fazem seu próprio julgamento no Alto. — Devem prevenir-se desde agora. — Inconformismo impressionante. — A grandeza do amor materno — Ajudar, ajudar sempre....
Leia a Mensagem

Esta mensagem é parte do livro Corolarium, da Grande Cruzada do Esclarecimento. Conheça mais sobre o livro Corolarium.

Compre Impresso
Download PDF

Seja um Apóstolo do Nosso Senhor Jesus e ajude divulgar as obras da Grande Cruzada de Esclarecimento.

Nova Ordem de Jesus

(54) 3461-2412   darcidickel@novaordemdejesus.com.br
Rua Valter Jobim, 282. Bairro Planalto.
CEP 95185-000. Carlos Barbosa, RS. Brasil.

"A palavra que o Senhor Jesus está difundindo na Terra através destas mensagens, deve ser ouvida e meditada por quantos tiverem a ventura de conhecê-la em sua presente vida terrena." - Apóstolo Thomé