UMA BENÇÃO DO PAI CELESTIAL - 18.ª Mensagem de Ensinamentos Espirituais - Nova Ordem de Jesus

PDF por Nova Ordem de Jesus. 24/02/2016 - 13 min leitura
#novaordemdejesus #livro #novaordem

Ditada pelo Apóstolo Thomé
Em 9-8-1970
Rio de Janeiro - Brasil

UMA BENÇÃO DO PAI CELESTIAL - CONTATOS COM O SE­NHOR JESUS - GUERRA COMO TRABALHO REMUNERADO - A GUERRA É DEMONSTRAÇÃO NEGATIVA - VIDÊNCIA E AU­DIÊNCIA ESPIRITUAL

A CIRCUNSTÂNCIA de o  Senhor Jesus se encontrar em contato com as almas encarnadas na  face da Terra, ajudando-as, inspirando-as e esclarecendo-as acerca das leis espirituais, de­ve ser tida como uma benção do Pai Celestial à humanidade ter­rena. Efetivamente, a presença do  Senhor  Jesus  na  Terra acom­panhado de numerosos  assessores da Sua Corte Celeste, repre­senta o fato mais importante ocorrido na Terra depois do mar­tírio do carpinteiro de Nazareth, há perto de dois mil anos.  A urgência de que todas as almas encarnadas se decidam  sem  mais  delongas  a  entrar em  contato  diário  com a Divindade por meio da oração sincera partida do coração, justifica de sobejo esta deli­beração do Senhor, de vir ao solo terreno e aqui se instalar com a  Sua equipe de assessores espirituais.

Pretende o  Senhor  Jesus,  no contato que está mantendo com os dirigentes das nações mais poderosas, conseguir de to­dos eles a aceitação dos princípios e ponderações do Senhor no sentido de reformarem idéias e projetos relacionados com outras nações. Tem o Senhor Jesus apresentado a esses dirigentes de povos, durante o sono do corpo, o quadro vivo das conseqüências que poderiam suceder a qualquer conflito porventura deflagrado por sua responsabilidade. Resultados apreciáveis já conseguiu o Senhor Jesus em Seu trabalho em  favor da paz definitiva  na Ter­ra, e tem motivos de esperar que isso se realize em breve tem­po.

Em  Seu contato com os dirigentes das nações poderosas durante o sono do corpo, o  Senhor  Jesus tem apresentado a cada um o compromisso por eles assumido no mundo espiritual ao pleitearem sua presente encarnação, quando muito se comprome­teram a trabalhar na Terra exclusivamente em favor da paz e da harmonia geral. A recordação que o Senhor Jesus  apresenta  a  cada  um  dos governantes das principais nações tem produzido efeitos bastante sensíveis, do que tem dado  notícia os entendi­mentos  registrados nos  últimos meses. O Senhor Jesus tem ad­vertido esses filhos, ocasionalmente detentores do destino de uma parcela  das almas encarnadas, que a vontade e determina­ção do Pai Celestial é que as almas encarnadas se aproximem, se entendam e se harmonizem, através dos atos e feitos dos res­pectivos governantes, e jamais que se digladiem e se destruam por causa de interesses ilusórios de grandeza e predomínio terreno.

O Senhor Jesus reuniu ultimamente no Espaço os dirigen­tes principais de dezenove nações terrenas em torno de uma me­sa de conferências, aos quais solicitou que expusesse cada qual os seus objetivos políticos em relação às demais nações ali  re­presentadas. Neste tipo de conferências, pelo fato de estarem presentes os Espíritos durante o sono do corpo, é impossível a qualquer deles dissimular suas verdadeiras intenções porque tu­do está presente e refletido no quadro mental de cada um. Desta maneira pode o Senhor Jesus inteirar-se da existência de projetos de natureza bélica os mais terríveis, não apenas por parte de uma ou duas nações, porém da parte de todas elas. Verificou o Senhor Jesus a carência de sentimentos fraternais por parte dos homens ocasionalmente exercendo a chefia de grandes parcelas de almas encarnadas, predominando as idéias de grandeza e pre­domínio de uns sobre os outros. Foi necessário prolongar por várias noites a duração da última Conferência realizada na se­gunda quinzena do mês de junho de 1970, a fim de que bem claro ficasse o pensamento de todos os Espíritos presentes. Verificou então o Senhor Jesus do cômputo geral das idéias ali enunciadas, que todos os projetos de natureza bélica apresentados a mesa da  Conferência tinham como justificativa fundamental a intocabilidade dos interesses materiais de cada uma das nações ali repre­sentadas.

De uma das nações presentes surgiu a idéia da necessida­de de se engajar a nação em guerra mais ou menos demorada com outras nações, com este objetivo estapafúrdio: dar empre­go remunerado a alguns milhões de filhos desocupados que mui­to pesam na economia do país. Estando em guerra - alegava o representante de tal nação - esses filhos serão pagos pelos co­fres públicos, é certo, porém estarão adquirindo compensações satisfatórias nos territórios conquistados. E ajuntou esse re­presentante que o seu país encontra-se super povoado e carecente de alimentos a tal ponto, que a idéia da guerra se apresenta ain­da como fator importante na redução demográfica.

O Senhor Jesus ouviu atento a exposição do governante da nação em causa, dizendo-lhe a seguir palavras de grande simpa­tia e ponderação acerca do que ouvira. Disse-lhe o Senhor Jesus ser o fato conhecido desde muito pelas Forças Superiores do mundo espiritual, e que desse conhecimento resultou a progra­mação de uma série de acontecimentos telúricos  a ocorrerem  nesse  país, com a  finalidade de ampliar grandemente as áreas de produção de alimentos para os  respectivos  habitantes. Informou ainda o Senhor Jesus que pelo menos um terço das  regiões mon­tanhosas daquele país seriam revolvidas pelos acontecimentos te­lúricos já em andamento, com real proveito para a sua enorme população. Exortou  finalmente o Senhor Jesus o dirigente da na­ção em causa, uma  Grande Alma, a estudar o emprego de sua população disponível no amanho e cultivo de algumas regiões ain­da desaproveitadas, no que seria ajudada pelas  Forças Superio­res, fazendo cessar de todo as idéias guerreiras então existen­tes.   Exortou ainda o Senhor Jesus os dirigentes de outras na­ções presentes à Conferência, a um entendimento fraternal com o Governo da nação em causa, não apenas abrindo as portas de suas nações à imigração daqueles filhos necessitados de trabalho, como  também na intensificarão das relações de trocas comer­ciais considerando as grandes possibilidades da nação em causa em fornecer diversos produtos da sua especialidade.

O resultado final da Conferência, realizada há pouco sob a presidência do Senhor Jesus, pode ser considerado bastante sa­tisfatório para a paz definitiva neste planeta. Em decorrência da citada Conferência, já está verificando o Senhor Jesus uma sen­sível mudança de atitudes entre vários governos, com a elabora­ção de projetos de acordo em torno de questões então considera­das insolúveis por  meios  pacíficos. Alguns tratados de amizade e cooperação estão sendo preparados por outras nações, sendo de se esperar que o mundo terreno realize em breve prazo um grande avanço no sentido do estabelecimento da verdadeira fraterni­dade entre os povos que o habitam.

Este é um dos grandes objetivos da vinda do Senhor ao solo terreno com Sua luminosa equipe de assessores espirituais. É tempo de sobra para que tal aconteça, pois que não tem justifica­tiva o fato de que vivendo na Terra, almas encarnadas que no Al­to se mantinham em perfeita harmonia e entendimento fraterno, aqui se tornem de tal maneira ambiciosas, orgulhosas e prepotentes, capazes de se entregarem à destruição de seus irmãos encarnados. É  necessário refrear ao máximo a onda de maus sentimentos que envolve as diversas parcelas da humanidade, quando esta é formada pelo conjunto de almas que se encontram  na  Terra. É  preciso considerar que as divisões e demarcações existentes no solo terreno foram criadas pelos homens na sua ambição de grandeza e domínio. A Terra é um todo em si, des­tinada à manutenção das almas que a Divina Providência deter­minar que venham em tarefa de aprendizado a este sólido plane­ta. Não concebe, pois, a Divina Providência, que se estabele­çam lutas de morte entre seus filhos encarnados, quando a fina­lidade de sua vinda ao plano físico teve por único objetivo a aqui­sição de maior volume de luzes espirituais.

A Divina Providência considera, por conseguinte, o fenô­meno da guerra uma demonstração negativa dos dirigentes das nações terrenas, levando-as à prática do maior  crime que exis­te: destruir a vida do semelhante  que  nenhum mal  lhes  fez. Isso, porém,  terminou a partir de agora. A Divina  Providência  não mais contemporizará com os chefes guerreiros dos povos da Terra, chamando-os de regresso ao mundo espiritual antes que eles possam dar início a novos conflitos. Desta maneira tem a Divina Providência a certeza de haver posto um ponto final nos conflitos armados que de longas eras tem derramado o sangue precioso de tantos milhões de seres que aqui vieram para viver, aprender e evoluir espiritualmente.

Em seguida o Senhor Jesus deseja abordar outro assunto do maior valor para quantos se encontram vivendo mais uma en­carnação neste plano físico, que é a concessão das  faculdades mediúnicas da vidência e audiência às almas encarnadas. Estas duas faculdades, principalmente, já são congênitas a todos os homens e mulheres, representadas por duas pequenas glândulas localizadas na cabeça. Estão, porém, em princípio de desenvol­vimento para  poderem  funcionar a contento do ser humano. Seu crescimento pode ser bastante ajudado pelos respectivos porta­dores por meio de um pequeno exercício diário. Este pequeno exercício pode constar de uma concentração do pensamento de cada um nestas pequenas glândulas, imaginando ajudá-las a crescer e desenvolver-se diariamente. Este pequeno exercício projetará uma vibração mental sobre a glândula  respectiva, ou sobre as duas ao mesmo tempo, tendo efeito semelhante ao der­rame de uma vasilha d’água diariamente no pé de uma planta ou flor que se deseje ver crescer. A vibração mental  projetada  so­bre as glândulas da vidência e audiência  terá o mérito de ali­mentá-las  lenta  mas  firmemente  para que possam entrar em fun­cionamento pleno, com grande alegria para seus portadores. É este um exercício que todos podem fazer com real proveito e grande alegria, em face das possibilidades que terão de ver e ou­vir as  Entidades espirituais que os visitarem. O uso das facul­dades auditiva e visual equivalerá a um avanço de alguns séculos no desenvolvimento espiritual das almas encarnadas. Procurem, pois, desenvolver tão úteis faculdades.

No aproveitamento desse exercício avançareis alguns séculos no desenvolvimento espiritual.

Em outras Mensagens da Grande Cruzada, também encontrareis mais exercícios fáceis.

Esta mensagem é parte do livro Nova Ordem de Jesus, da Grande Cruzada do Esclarecimento. Conheça mais sobre o livro Nova Ordem de Jesus. Agradecemos pela leitura e ficaremos muito felizes se o seu desejo for o de compartilhar a mensagem com seus amigos e familiares.

Seja um Apóstolo do Nosso Senhor Jesus e ajude divulgar as obras da Grande Cruzada de Esclarecimento.

Mais de Nova Ordem de Jesus - Mensagens do Livro

A RESPONSABILIDADE DOS CHEFES DE FAMÍLIA - 3.ª Mensagem de Ensinamentos Espirituais - Nova Ordem de Jesus

Ditada pelo Apostolo ThoméEm 20-6-1970Rio de Janeiro - Brasil A RESPONSABILIDADE  DOS  CHEFES DE FAMÍLIA – PROGRAMA DE VIDA - A PALAVRA DO SENHOR -...
Leia a Mensagem

PLANOS EM PRINCÍPIO DE EXECUÇÃO - 121ª Mensagem de Ensinamentos Espirituais

Ditada pelo Apóstolo ThoméEm 7-8-1971Rio de Janeiro - Brasil   PLANOS EM PRINCÍPIO DE EXECUÇÃO - TODA ATENÇÃO DA ENGENHARIA CELESTE -...
Leia a Mensagem

ENTENDIMENTO MÚTUO PARA REMOVER TODAS AS DIFERENÇAS - 52ª Mensagem de Ensinamentos Espirituais

Ditada pelo Apóstolo ThoméEm 6-12-1970Rio de Janeiro - Brasil   ENTENDIMENTO MÚTUO PARA REMOVER TODAS AS DIFERENÇAS - TODA A...
Leia a Mensagem

Esta mensagem é parte do livro Nova Ordem de Jesus, da Grande Cruzada do Esclarecimento. Conheça mais sobre o livro Nova Ordem de Jesus.

Compre Impresso
Download PDF

Seja um Apóstolo do Nosso Senhor Jesus e ajude divulgar as obras da Grande Cruzada de Esclarecimento.

Nova Ordem de Jesus

(51) 99739-9884   darcidickel@novaordemdejesus.com.br
Rua Ludwig Wagner, 84. Bairro São Paulo.
CEP 95780-000. Montenegro, RS . Brasil.

"A palavra que o Senhor Jesus está difundindo na Terra através destas mensagens, deve ser ouvida e meditada por quantos tiverem a ventura de conhecê-la em sua presente vida terrena." - Apóstolo Thomé