No mundo espiritual todo esforço é remunerado de maneira satisfatória - Corolarium Cap. LXX

PDF por Nova Ordem de Jesus. 11/05/2016 - 15 min leitura
#corolarium #novaordemdejesus #mensagens #mãemaria #nossasenhora

No mundo espiritual todo esforço é remunerado de maneira satisfatória. — Galerias de arte ornamentando residências particulares. — Um grandioso trabalho simbolizando o Universo. — Um foco central que simboliza o Criador animando o sistema planetário.

 

Estamos visitando uma grande Exposição de Belas-Artes que se realiza no mundo espiritual, à qual concorrem os mais destacados artistas que passaram pela Terra em várias encarnações, e aqui deixaram os seus nomes inscritos nos anais das Artes, com a realização de trabalhos de alto valor artístico. Encontrando-se então no mundo espiritual e sabendo da realização deste importante certame com a necessária antecedência, seu maior desejo é comparecer ao mesmo, com obras artísticas como as que estamos visitando. Uma idéia que pode ocorrer aos meus estimados leitores e queridas leitoras é a curiosidade de saber a natureza dos Prêmios oferecidos pela Comissão Organizadora da Exposição, para retribuir os esforços das almas que confeccionaram estes belos trabalhos expostos. Eu esclarecerei então que no mundo espiritual todo esforço realizado pelas almas que nele vivem é remunerado de maneira inteiramente satisfatória para todas. No plano elaborado para esse fim pela Comissão Organizadora da Exposição, foi estabelecida uma escala de prêmios para os autores dos trabalhos expostos, desde os mais destacados aos menos importantes, segundo a sua classificação final. Os prêmios a serem conferidos aos artistas expositores consistem de galardões, medalhas e diplomas muito bonitos que os artistas conservarão como recordação da Exposição. Mas há ainda, para todos os artistas, outro tipo de recompensa que será distribuída pela Comissão Julgadora da Exposição. Este tipo de recompensa será traduzido em onças de luz para as almas artistas que concorreram à Exposição, e se ajustará ao diadema de cada uma, aumentando a sua luminosidade.

No Alto, porém, como na Terra, também existem os apreciadores das belas-artes, que se empenham em colecionar os trabalhos que lhes despertam o interesse artístico. Quando um dia regressardes ao vosso plano no Além, haveis de constatar a existência de numerosas galerias de arte ornamentando residências de almas aficionadas, constando de obras adquiridas pelas mesmas em exposição como esta que estamos visitando. A aquisição de tais obras é então retribuída em onças de luz, as quais o artista capitaliza se lhe convém para adquirir novos elementos para outras realizações. Direis vós, então, que existe no Alto um verdadeiro comércio semelhante ao da Terra para suprimento das almas que ali vivem. Em parte assim é, uma vez que lá podereis adquirir tudo quanto desejardes para o vosso uso ou consumo, dentro, é claro, dos princípios que fogem a vida espiritual. E como as almas que se entregam ao estudo e confecção artística necessitam de vários elementos para a realização das suas obras, elas concordam em vender as que encontram comprador, para se entregarem à realização de outras. Uma boa parte, porém, das obras que estamos visitando, não pode ser cedida a terceiros interessados na sua aquisição, em vista da prioridade da Comissão Organizadora em adquirir os melhores trabalhos para o Museu de Belas-Artes existente no plano, onde permanecerão expostas à visita pública. Se nos sobrar tempo, eu prometo levar-vos também em visita ao Museu antes da conclusão deste livro. Mas, se isso não for possível, almas queridas, ainda nesta oportunidade, eu me reservo para vos levar até lá à medida em que fordes regressando ao nosso plano no Além. É uma promessa que agora vos faço e que eu cumprirei de todo o coração. Vamos prosseguir então em nossa visita, já que a nossa cicerone está chegando aqui.

— Bela alma, aqui estamos novamente nesta linda manhã para continuar a nossa agradável visita à Exposição. O que nos sugeres para visitar hoje, bela alma?

— Alma Excelsa, eu tenho a satisfação de apresentar-vos um trabalho dos mais notáveis desta Exposição. Ele se encontra ao fim desta galeria; vamos até lá. É este grandioso trabalho elaborado por uma parceria de artistas para simbolizar o Universo. É realmente grandioso e interessante. Os artistas responsáveis requereram esta área toda para poderem armar o seu Universo, e ele aqui está. Vamos admirá-lo por partes. Este foco que aqui vemos foi imaginado para representar o centro do Universo, que os artistas conceberam como uma poderosa força luminosa. Deste foco é que parte a energia propulsora de todos os sistemas planetários que estão situados em volta, como estamos vendo, movendo-se lentamente numa sincronização perfeita com as irradiações do grande fogo central. É realmente admirável a idéia dos artistas, mas talvez ainda mais o seja a construção da obra. Os artistas esmeraram-se, porém, na apresentação do nosso sistema solar, que ocupa a área maior de todo o conjunto. Este foco central, segundo a concepção dos autores da obra, está simbolizando o Criador e Animador do Universo, cuja irradiação vai produzir o movimento de todo o conjunto planetário do nosso sistema solar. E de que maneira isto se dá? Examinemos o fenômeno de perto. Vemos aqui, circulando em torno dos planetas do sistema este simples filamento magnético recebendo a irradiação do grande foco central, mediante a qual ele impulsiona a respectiva esfera e ela se movimenta sobre si mesma com esta regularidade que estamos vendo. Pretendem os autores do trabalho significar assim engenhosamente o potencial irradiado Pelo Grande Criador e Animador do Universo, a todos os sistemas planetários, transmitindo-lhes a vida e ação continuada. A idéia universal está bem plasmada nesta obra extraordinária. Não esqueceram os seus autores de apresentar este número avultado de pequenas luminosidade esparsas em todo o conjunto, para significar as estrelas que aparecem no firmamento, que são outros tantos planetas e sistemas que, de tão distantes, nos parecem estrelas minúsculas, refletindo todas elas a luminosidade que recebem deste foco central. Analisemos mais de perto o conjunto do nosso sistema. Aqui está a Terra, tão pequena em relação aos demais planetas, que custa a crer que reúna perto de quatro bilhões de almas encarnadas, além de outros muitos bilhões de animais em plena vivência. Vemos aqui bem próxima a Lua como satélite da Terra, inteiramente desprovida de vida animal, segundo a imagem que os artistas aqui nos apresentam. Como satélite que é da Terra, a Lua como que lhe segue os passos sempre com os olhares voltados para ela. Vemos aqui a Lua constituída de matéria sólida bastante irregular, apresentando-nos estas crateras bastante profundas, onde nada conseguimos enxergar. É este enorme bloco montanhoso que os cientistas da Terra se empenham em conquistar, na ilusão de nele poderem instalar a vida. Os autores deste trabalho tiveram permissão para visitar a Lua e nela estudarem o que pudesse interessar à confecção deste trabalho. E o que conseguiram nesse estudo, é isto que aqui nos apresentam: um planeta sem vida, árido, montanhoso, circulando no Espaço por força da irradiação que recebe do grande foco central. Vemos igualmente os demais planetas do sistema, movimentando-se todos com esta regularidade que vemos, como se uma poderosa engrenagem os movimentasse. Nada disso existe, porém, às nossas vistas. Vemos que toda a força que os impulsiona em seus movimentos rotativos, provém unicamente deste grande foco que lhes dá vida e movimento.

— Muito te agradeço, bela alma, a sugestão que hoje nos deste, assim como a interessante explanação que acabas de fazer-nos em torno deste grandioso trabalho. É realmente digna da nossa admiração a concepção deste grupo de grandes artistas, realizando esta miniatura do Universo. A idéia foi muito feliz, concebendo este foco central para simbolizar o Criador e Animador do Universo, em função do qual todos os sistemas se movimentam numa sincronização perfeita com as irradiações do foco central. Eu agradeço de coração a explanação que acabas de fazer-nos, e muito admiro a inteligência e talento com que tão bem apreendes as idéias dos autores das obras expostas, para as transmitires aos visitantes como nós. Eu te agradeço uma vez mais tudo isso, bela alma!

Como acabais de observar, almas queridas, estamos apreciando esta miniatura do sistema universal, concebida e realizada por um pequeno grupo de almas com esta perfeição que temos diante de nós. Aqui interessa-nos principalmente o globo terrestre que vemos num movimento constante, produzido por esta pequena cinta magnética que nem sequer o toca. Daí a nossa maior admiração pelos construtores desta obra, conhecedores perfeitos dos efeitos da luz sobre o campo magnético dos corpos celestes. Vemos que a esfera terrestre se movimenta em torno de si mesma inteiramente desapoiada do que quer que seja, apenas o fazendo sob a influência desta pequena cinta ionizada, sensível às radiações luminosas emitidas por este foco central, simbolizando o regulador de toda a vida universal. Este plano em que ora nos encontramos visitando esta grandiosa Exposição encontra-se também, figuradamente anexo a este globo terrestre como parte de um todo. E a propósito eu desejo dizer-vos, almas queridas, que os planos espirituais e o plano terreno não se encontram distantes e tampouco separados, como muitas pessoas ainda supõem. Os planos espirituais e o plano terreno interprenetram-se e se completam de tal maneira que tudo o que empreenderdes ou fizerdes no vosso plano terreno pode ser visto e apreciado dos planos espirituais. Nada existe no plano físico do mundo terreno, que não seja visto do mundo espiritual, tão perto e integrados esses diversos planos se encontram. Em face desta verdade, é recomendável meditardes sempre naquilo que decidirdes empreender, para não oferecerdes às Forças do Bem no plano invisível, algum espetáculo constrangedor, resultante de algum procedimento menos digno. Não fora o olvido exercido pela carne sobre a memória espiritual, e certamente recordaríeis certos fatos do passado, dos quais fostes parte a seu tempo, mas que os não praticareis jamais em vossa existência atual. São fatos dessa espécie os que constrangem no Além as almas que os praticam na Terra, e que por nada desejariam recordá-los. Bom será, por conseguinte, almas queridas, ter isto em mente permanentemente, para fugir às recordações desagradáveis em vosso regresso ao mundo espiritual.— Agora, bela alma, talvez tenhamos de nos afastar alguns dias desta bela e grandiosa Exposição, para atendermos a outros trabalhos e interesses destas almas queridas que me acompanham. Por isso peço-te não estranhares a nossa ausência por alguns dias. Eu te prometo, porém, que voltarei, interessada como estou na apreciação de outros trabalhos expostos. Adeus, pois, bela alma.

— Adeus, Alma Excelsa. Eu sinto-me orgulhosa e feliz de ter podido proporcionar-vos a minha  modesta colaboração na descrição dos trabalhos visitados, e espero poder prosseguir em dias próximos. Creia, Alma Excelsa, que isto resultou numa grande felicidade para a minha  pobre alma.

— Podes crer que eu voltarei, bela alma. Até breve, pois.

Foi motivo de grande alegria para mim, almas queridas, a oportunidade que se nos deparou de visitarmos juntas esta Exposição de Belas-Artes, na qual tivemos ensejo de apreciar tão belos e importantes trabalhos. Mas eu desejo visitar convosco outros lugares notáveis deste plano em que vivo, onde muito há o que apreciardes. Faremos isso a partir de amanhã e por uma semana aproximadamente, após o que voltaremos a esta Exposição, onde ainda temos muito o que apreciar. O meu desejo e o meu objetivo nestas visitas é menos o de proporcionar prazer ao Espírito, no exame e análise das obras visitadas, do que o de despertar nas vossas almas os verdadeiros objetivos de vossas presentes existências na carne, que são grandiosos e belos. Nenhuma alma desceu jamais à Terra para o seu próprio deleite na contemplação do que na Terra exista, mas unicamente com o elevado propósito de progredir espiritualmente. Assim, tudo quanto me ocorre dizer-vos em favor desse elevado propósito, eu o digo de todo o coração, com o fim de vos ajudar da melhor maneira a cumprirdes integralmente as vossas tarefas. Este é o meu maior desejo.

Deixo-vos aqui a bênção que o Senhor vos envia por meu intermédio, e a minha própria que eu vos ofereço de todo o coração.

Esta mensagem é parte do livro Corolarium, da Grande Cruzada do Esclarecimento. Conheça mais sobre o livro Corolarium. Agradecemos pela leitura e ficaremos muito felizes se o seu desejo for o de compartilhar a mensagem com seus amigos e familiares.

Seja um Apóstolo do Nosso Senhor Jesus e ajude divulgar as obras da Grande Cruzada de Esclarecimento.

Mais de Corolarium - Mensagens do Livro

A Fonte do Supremo Bem - Corolarium Cap. XVII

A Fonte do Supremo Bem. — Necessidade do hábito da prece. — Um episódio bastante elucidativo. — Duas almas afins combinam unir-se na Terra. — Um método...
Leia a Mensagem

A razão de certos obstáculos - Corolarium Cap. XLIX

A razão de certos obstáculos, sucessos ou insucessos defrontados em vossas vidas. — A aquisição de novas luzes pelas almas desencarnadas. — Todas as almas...
Leia a Mensagem

A convivência das almas no Espaço - Corolarium Cap. XXXII

A convivência das almas no Espaço. — Classificação das almas por categorias. — Uma das características principais da vida no Além. —...
Leia a Mensagem

Esta mensagem é parte do livro Corolarium, da Grande Cruzada do Esclarecimento. Conheça mais sobre o livro Corolarium.

Compre Impresso
Download PDF

Seja um Apóstolo do Nosso Senhor Jesus e ajude divulgar as obras da Grande Cruzada de Esclarecimento.

Nova Ordem de Jesus

(51) 99739-9884   darcidickel@novaordemdejesus.com.br
Rua Ludwig Wagner, 84. Bairro São Paulo.
CEP 95780-000. Montenegro, RS . Brasil.

"A palavra que o Senhor Jesus está difundindo na Terra através destas mensagens, deve ser ouvida e meditada por quantos tiverem a ventura de conhecê-la em sua presente vida terrena." - Apóstolo Thomé